sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Hoje é dia de rock, bebê!


1985. Há 30 anos, nascia o Rock in Rio. Eu tinha 11 anos, e minha mãe não permitiria que seu pimpolho fosse neste evento histórico. Pensando bem, ela não deixaria ainda hoje.

Ao longo destes 30 anos, ele se tornou o maior festival de música do mundo. Sim, de música, não de rock. Afinal, é uma vergonha o negócio se chamar "ROCK in Rio" e ter em seu histórico Carlinhos Brown (já falei aqui o que acho dele), Ivete Sangalo, Ney Matogrosso e um monte de outras coisas igualmente toscas.

E eu sou capaz de apostar um dinheiro como os empresários dos sertanojos devem estar enchendo o saco da organização há algum tempo, tentando entrar no negócio. Para eles, fica a dica: seu evento é outro!

Infelizmente, alguns dos que marcaram há 30 anos não estarão presentes, como James Taylor. Outros não estarão porque morreram, mesmo, como Cazuza e Freddie Mercury. Porém, como o rei Pedro I de Portugal ou o Vaticano, a organização do Rock in Rio vai exibir os cadáveres ao público. 

Ou quase isso: Barão Vermelho com Frejat (que já aturamos mais do que deveríamos) e Queen, com um certo Adam Lambert no lugar do Freddie Mercury, estarão no festival. Por que não chamaram Buchecha sem Claudinho também?

Porque foi só o que faltou. No último evento, levantaram o defunto do Renato Russo, e dessa vez haverá homenagem a Cássia Eller. Então, se algum de vocês for hoje ao Rock in Rio, se prepara que é noite de sessão espírita: homenagem a Cássia Eller e Queen ao vivo.

E, claro, também vai ter vergonha alheia...digo, "Rock in Rio 30 anos" (pesquise na net e se surpreenda!)

Confere aí o lineup completo de hoje:

Ou seja, o resto é OneRepublic e um tal de The Script (que, para mim, poderia se chamar "The Who?" se isso não fosse um sacrilégio, claro!). Aliás, fiquem com uma do The Who pra limpar a mente:


Agora que já limpou a mente, vamos comentar sobre o resto da bomba desta noite:

  • Lenine  (blargh)+ Nação Zumbi(blaaaargh) + Martin Fondse (???)
  • Ira! (falando em levantar defuntos...) + Rappin' Hood (hip-hop nacional meia boca, mas podia ser pior se fosse Anitta) + Toni Tornado (CARALHOS QUE FODAM O MÁRIO! Toni Tornado é sacanagem!) 
  • Dônica (fui ver no YT: é uma banda atual que acha que ainda estamos nos anos 70. Coisa de maconheiro bicho-grilo) e Arthur Verocai (esse esteve de verdade nos anos 70, onde teve ~alguma~ fama e está tentando dar um revival. Outro defunto levantado)
  • João Donato (mais um pra lista de The Walking Dead do Rock in Rio)
  • Rabo de Lagartixa (nem conheço, mas tem nome de coisa de bicho grilo. Preconceito imediato. Me julguem).
  • Joyce Cândido (sambinha meio "dança de salão". MAS É UM MULHERÃO!)
Na dúvida, meus amigos, eu ia tentar a sorte na música eletrônica, sério mesmo. Afinal, bate-estacas não tem mistério. É só se misturar e dançar. E não, não dá pra terminar um post sobre o Farofa in Rio sem deixar este vídeo pra vocês, de um pai de família exemplar dando (uy!) entrevista. Julguem:


PS.: Podem prestar atenção na imprensa, porque não tem um que fale Rock in Rio. TODO MUNDO fala Rockemrio (tudo junto e com "e"). Talvez seja porque a gente fala roquenrôu, mas em Rock and Roll existe um "e" ali na pronúncia do "and". Não sei se é isso, mas há 30 anos é assim! XD

MRJ