quinta-feira, 5 de novembro de 2015

O povo não é bobo. Será?


Assista ao vídeo acima. Mais especificamente, comece a assistir a partir de 7:55. Trata-se de uma palestra do jornalista Paulo Henrique Amorim na Assembléia Legislativa de MG, realizada no último dia 20 de outubro.


PHA tirou o dia para bater com força na Globo, como vocês podem ver. E vai ter mais logo ali embaixo, se você estiver com tempo.

Meu pai é um daqueles que sempre torceram contra a Globo. Não, meu pai não é esquerdista. Pelo contrário: é militar. E sonha com o dia em que a Globo vai cair. 

Mas eu gostaria de enfocar outros aspectos dentro do que o PHA falou. Não entendi, sinceramente, do que ele está achando graça. Ele mesmo trabalha para uma grande rede de TV, concorrente da Globo (a Record), e, no entanto, ele praticamente comemora a ascensão do Google e da Netflix, chegando a sublinhar que esta última somente possuiria 10 funcionários para manter toda a operação na América Latina.

Do que ele está rindo? Quer perder o emprego? Não entendi. Aproveito que alguns jornalistas (Ghedin e Burgos, por exemplo) costumam ler nossos posts para perguntar sinceramente: o que foi isso? Qual é o ponto do PHA?

Porque se o ponto dele é esculhambar a Globo, ok, todos nós estamos de acordo. Aliás, ele passou mais de 30 minutos fazendo isso com maestria naquela sessão:


Mas não consegui encontrar o nexo causal entre a queda da Globo e "boas notícias". Sim, não tenho dúvidas de que sob o aspecto político a Globo já caiu, com a morte do Roberto Marinho. O império já não é mais o que era.

Aliás, o que me assusta é o surgimento de outro imperador, que é o patrão do PHA: Bispo Macedo. Aliás, onde há fumaça, há fogo queima. Ah, queima.

Mesmo diante disso, não consigo ver como positiva a perspectiva de que nosso povo - que já é alienado e americanófilo além da conta - perca empregos na mídia (ou em qualquer outra área!) enquanto consome enlatados importados.

Sim, nós já quebramos a indústria têxtil nacional porque importamos da China. Já quebramos a indústria do calçado pelo mesmo motivo. Poderíamos dar outros tantos exemplos, mas será que o Netflix vai ser o UBER da TV brasileira?

Sem querer parecer alarmista, pode ser que daqui a pouco a gente passe a comemorar o 4 de julho em vez do 7 de setembro. Já trocamos o Dia do Saci pelo Halloween mesmo, né?

A Globo é e sempre foi, como diz PHA, o Quarto Poder. É. Sem dúvida. Tá aí um documentário antigo, feito por uma TV inglesa nos anos 90 e que nunca foi exibido no Brasil porque...bem, porque denuncia Roberto Marinho e a Globo e porque...adivinha quem comprou os direitos de difusão no Brasil e nunca exibiu????



Enfim, para mim, a fala de PHA deixa um sentimento agridoce. Por um lado, assinala que um verdadeiro império do mal pode estar enfraquecido além do que poderá suportar, mas, por outro lado, nosso processo de colonização ianque parece caminhar a passos cada vez mais largos, nos afastando da nossa cultura, tirando nossos empregos e nos mantendo tão alienados quanto...a Globo.

MRJ