segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Review do Nokia Lumia 920 três anos após o lançamento. Por que faz sentido comprar um hoje.


Todos nós já tivemos um(uns) celular(es) que ficou/ficaram marcado(s) em nossas mentes. Eu consigo lembrar de todos os celulares pelos quais tive um gosto especial. Nokia 2112 (toque polifônico! Uau!), Nokia N95 (esse marcou uma geração pré-iPhone), Motorola Milestone I (meu primeiro Android top de linha), iPhone 3G e claro, o Nokia Lumia 920.

Percorrendo o sítio do Mercado Livre deparei-me com um anúncio de um Nokia Lumia 920 novo e lacrado. Na hora tive um misto de alegria e desconfiança, alegria de encontrar um celular antigo ainda lacrado e desconfiança por ser no Mercado Livre. O produto custou-me R$ 699,00 e, por ser um valor relativamente baixo (e o vendedor ter boas qualificações), arrisquei. O produto chegou lacrado, antes do prazo e com nota fiscal no meu nome. Dei três estrelas na qualificação, se o vendedor colocar crédito no meu celular darei mais.

O Nokia Lumia 920 é o N95 dos Lumias, para quem já teve um Nokia N95 sabe bem o que estou dizendo. Lançado em setembro de 2012, o Lumia 920 era o top de linha dos Lumias na época, com as seguintes especificações: 

  • Tela de 4,5 polegadas IPS com resolução de 1280x768 (332 ppi);
  • câmera traseira de 8,7 megapixels e frontal de 1,2 megapixel;
  • memória interna de 32GB [sem possibilidade de expansão];
  • peso: 185g;
  • 1GB de RAM e processador Snapdragon S4 Pro dual-core com clock de 1,5GHz. 

Sem mais delongas, vamos ao que interessa.

Design: construído em um monobloco de policarbonato o Lumia 920 tem um design característico de outros Lumias. Não que isso seja ruim, com as bordas curvadas e mais finas que o corpo central garante uma boa pegada evitando que o mesmo escorregue da sua mão. 

O design é simples, mas bonito. O modelo de cor preta é puxado para o fosco, evidenciando mais qualquer risco na carcaça. Já os modelos de cores branca e amarela têm uma tintura mais brilhante. Ele é um pouco pesado se o comparamos aos telefones atuais, mas no segundo dia usando você nem vai mais se lembrar disso.


Câmera: o que falar dessa câmera que mal conheço e já considero pacas? Mentira, eu conheço, e muito bem! A Nokia tem uma expertise em câmera reconhecida mundialmente. 

Na época do seu lançamento a câmera do Lumia 920 era considerada uma das melhores (senão a melhor) câmera em um smartphone. Atualmente continua sendo muito boa, batendo até em aparelhos bem mais recentes como o Moto X 2014, Xperia M4 Aqua e o LG G3. 

Composta de lentes Carl Zeiss, com tecnologia PureView e estabilização de imagens através de lentes flutuantes (falei flutuantes, e não flatulantes sr. +Mario Naopergunte) contando com um conjunto de molas que suspende o vidro da objetiva. 

As cores são reproduzidas fielmente, sem estourar. Todas as fotos desse review foram todas retratadas em modo automático usando o aplicativo Lumia Camera (antigo Nokia Camera). Falando em Lumia Camera, o aplicativo é o melhor que já usei para captura de fotos. Completo e prático, onde tudo pode ser regulado (balanço dos brancos, ISO, velocidade do disparador e abertura do diafragma). É um prato cheio para os amantes da fotografia. 
 
Foto diurna
 
Foto diurna sob luz natural
Outro exemplo
Foto feita com o uso da função macro
Foto noturna sem flash
Tela de configuração da câmera
Bateria: definitivamente não faz milagres. Com apenas 2000 mAh não espere muito dela. Nas duas primeiras semanas tive sérios problemas porque a bateria drenava num piscar de olhos. 

O smartphone, mesmo em standby, consumia absurdamente. O aparelho veio originalmente com a ROM da operadora (Vivo). Instalei a ROM retail e o problema persistiu. Fui testar o Windows 10 Mobile e o problema continuou. Voltei para o Windows 8.1 retail e tudo estava na mesma. 

Já estava pensando seriamente em enviar para a assistência técnica, quando reinstalei a ROM retail e o problema de drenagem da bateria cessou. Atualmente a carga da bateria dura um dia em uso moderado, o que para mim já está bom. Aproveitei e comprei um carregador por indução, que eu acho bacana e prático de se usar.

Tela: não há muito o que se falar. Possui uma boa densidade de pixel/polegada: 332ppi para ser mais exato. A tela é IPS, não tem cores tão vivas como a AMOLED, mas você só notará diferenças se colocar uma ao lado da outra. O tamanho para mim é agradável, 4,5 polegadas. Não é tão grande quanto um phablet ou tão pequena quanto um iPhone 5/5s/5c.

Resistência: todos nós sabemos da fama que a Nokia tem no que se refere à resistência de seus produtos. Diz a lenda que os aparelhos da Nokia foram projetados por Chuck Norris. Obviamente, não sou nem rico nem idiota a ponto de sair dando marteladas no meu Lumia 920, mas deem uma olhada nesse vídeo. Aviso, tirem as crianças da sala, as cenas a seguir são fortes! 
 

Sistema operacional: fluidez. É a primeira palavra que vem na cabeça quando penso em Windows Phone. O SO no Lumia 920 roda muito, mas muito liso. Nenhum celular lançado em 2012 chega perto no quesito fluidez. Se compararmos os celulares lançados em 2012, temos o iPhone 5, o Samsung Galaxy S III e o LG Optimus G, e nenhum deles consegue ter a mesma performance do Lumia 920. 

Outro fator bastante positivo são as atualizações, e é aí que a diferença é mais gritante. O Lumia 920 receberá o Windows 10 Mobile. Aliás, todos os Lumia receberão o Windows 10 Mobile (talvez com exceção do Lumia 530, por ter apenas 4GB de memória interna, mas oficialmente ele não foi descartado). 

Se pegarmos os telefones da concorrência, veremos que telefones de 2013 já não têm suporte para futuras atualizações como, por exemplo, o Moto X 2013, Samsung Galaxy S4, Sony Xperia Z1, LG G2 e Nexus 4 (esse lançado em 2012). 

Mas nem tudo são flores, já o Windows Phone tem apenas 2,6% de marketshare e isso, consequentemente, afasta desenvolvedores para a plataforma. A carência de aplicativos é de conhecimento de todos (sorry +Eric Mac Fadden  e Raposão do Ártico), mas uma coisa que percebi é que, além dos desenvolvedores não estarem muito interessados em elaborar apps, os que existem demoram um absurdo para serem atualizados.

O Instagram, lançado em 2013 ainda não saiu da versão beta. O Tripadvisor não é atualizado desde dezembro de 2012, o app da NBA, desde julho de 2014, o Waze desde fevereiro de 2014, o do Linkedin e o TuneIn Radio desde dezembro de 2013. 

A Google simplesmente não lança apps para a plataforma. Nenhuma operadora de telefonia tem apps para Windows Phone. Não existe nem sequer um aplicativo de nono dígito. 

Itaucard, Multiplus, OLX, Nubank, Vevo e TuneIn Radio Pro, nenhum desses existe. Como diz meu amigo de longa data James Hetfield, sad but true.

Logo abaixo tem uma breve comparação entre os mesmos apps, tanto para Windows Phone quanto para iOS. Veja a diferença absurda de tempo entre a última atualização do aplicativo para Windows Phone e para iOS. 















Conclusão: sim, faz sentido comprar um Lumia 920 em 2015, claro, a depender do preço a ser pago. Inclusive, acho-o bem mais vantajoso que o Lumia 830, que ainda é encontrado nas grandes lojas do varejo. O Lumia 920 ainda conta com um bom hardware para as necessidades do Windows Phone e tem muita lenha ainda para gastar. 

Para quem serve: para entusiastas do Windows Phone. Para quem já tem um aparelho com Windows Phone e está pensando em trocar. Para quem quer largar o iOS ou Android e entrar no mundo do Windows Phone/Mobile, esse smartphone seria uma boa opção de compra. Para quem quer um smart fluido com garantia de atualizações.

Para quem não serve: para aqueles que gostam de ter uma grande variedade de apps e jogos, para quem gosta de modificar o software do aparelho instalando roms diversas.



Por Jeorgelis M. de Matos