sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Mikah Frye - um anjo usado

Eu ouvi um amém?
Nesta época de Natal, mesmo os corações mais duros e insensíveis costumam amolecer um pouco. Bem pouco. Quase nada, mas, ainda assim, o resultado é >0.

O bondoso coração das crianças, por outro lado, brilha ainda mais nessa época, sem saber que o Lobo Mau está logo atrás, se vestindo em pele de cordeiro.

Resumindo algo que vc já leu em algum outro blog por aí: o garoto que entitula o post, morador de Ashland - Ohio, ia ganhar um Xbox, mas como sua família havia passado por dificuldades, ele preferiu doar o dinheiro de seu presente para comprar cobertores para moradores de rua.

A isto chamamos empatia, que é a capacidade de se colocar no lugar do outro (no caso dele, de verdade, porque já esteve do outro lado).

Obviamente, um ato louvável, e que nos enche de esperança e alegria. Verdade seja dita, esperança e alegria também me deu ontem ao assistir a matéria do JN sobre o Chef brasileiro que prepara refeições para os sem-teto de NY. Igualmente louvável (se não mais, já que o Chef parece ter parado de se dedicar à profissão para servir, ainda que temporariamente!).

Bom samaritano de raiz, e não aproveitador Nutella
A Globo noticiou o que faz o Chef Felipe Saint Martin, pois ela é uma empresa de mídia, o horário em questão era o do telejornal e, portanto, nada melhor do que publicar alguma coisa inspiradora nessa época, ainda mais uma história onde um brasileiro promove alguma coisa relevante nos EUA (brasileiro adooooora isso).

Então, evidentemente, você pode dizer que a Globo (de certa forma) usou o bondoso ato do Chef para lucrar, e eu digo que sim, mas também é necessário apontar que, no contexto em que a matéria foi exibida, fazia sentido jornalístico.

Não se trata de uma matéria de apelação, e muito menos de elevar o próprio nome (o que seria o caso se a Globo informasse, por exemplo, que efetuou doações de alimentos para o Chef).

Agora vamos inverter o raciocínio. A Microsoft, ao descobrir que o garoto Mikah doou o valor de seu Xbox aos pobres, fez uma live no Facebook, dando publicidade ao seu próprio ato de...dar um novo Xbox ao garoto.

Mas peraí: a MS, ao contrário da Globo, não é uma empresa de mídia. Mas fez questão de se exibir pegando carona no ato de amor de uma criança!

E outra: ela mesma deu um Xbox para o garoto (já falei que a Globo não afirmou ter dado donativos ao Chef? Pois é).

Não consta que a MS tenha doado nada àqueles pobres que foram objeto do ato de Mikah. Pode ser que tenha doado? Até pode. Mas o que ficou no registro foi a doação do Xbox e games.

Outra coisa: que mensagem este ato da MS passa para uma criança que ainda está se desenvolvendo? Que o mundo é bonzinho e o karma positivo é uma realidade? Sinto muito, a vida não é assim. Não é todo ato de desprendimento que vai redundar num benefício. 

Aliás, se assim fosse, estaríamos diante de um ato verdadeiramente altruísta (focado no outro), ou egoísta, travestido de altruísmo?

Resumo da ópera: podem comentar à vontade. Concordem, discordem, xinguem. Aqui não tem mordaça.
OUTRA COISA: aqui pode escrever Popcorn Time à vontade.

MRJ