sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

RETOspectiva

Retospectiva é isso aí!
Tudo bem que hoje é um novo dia de um novo tempo que começou, mas isso não quer dizer que não devemos olhar para trás e reconhecer o que aprendemos com as experiências passadas, né?

Neste espírito, o Medita vai te ajudar a relembrar tudo o que aprendemos durante o corrente ano acerca de um assunto mais polêmico que mamilos: raposas.

O que já sabíamos

A foto de introdução (com todos os duplos e triplos sentidos, por favor) do post mostra algo que já sabíamos: raposas têm um reto e ânus capaz de abrigar incontáveis machos ao mesmo tempo.

Graças a este post do Gizmodo de 2016, também já sabíamos que após a cópula as raposas refrescam a cabeça na neve enquanto deixam as partes pudendas ao léu. Ao léu, não ao Leo, mas se o Leo aparecer, tem jogo. Confira comigo no replay:


O que aprendemos em 2017:

Logo em janeiro, aprendemos, graças a este post da BBC Brasil, que, apesar de foguentas, as raposas também podem atingir o ponto de congelamento:

Seria esta uma raposa frígida?
Pouco tempo depois, este malcriado que vos fala teve uma revelação bíblica, podendo assim compreender a origem do fogo no rabo das raposas:

"E foi Sansão, e pegou trezentas raposas; e, tomando tochas, as virou cauda a cauda, e lhes pôs uma tocha no meio de cada duas caudas.". (Juízes 15:4)


Ainda não sabemos, porém, se esta foi a origem das piruletas. Por falar nisso...

O que ainda não sabemos:

Na verdade, a primeira coisa que ainda não sabemos é algo que sabemos. Calma, eu explico. Em 2017, alguém finalmente percebeu que agora já sabemos que ainda não sabemos...o que as raposas dizem!

O cara do vídeo acha que é algo do tipo "ding-ding-ding", ou "wapa-papa-papa", mas a galera do Gizmodo sempre achou que era uma pegada mais "mimimi". Principalmente quando o assunto é Uber, Google, Facebook e Carlos Cardoso. Mas ainda não sabemos.

E que venha 2018, com novas revelações sobre o que ainda não sabemos!

Se alguém aí lembrar de alguma outra merda coisa que aprendemos em 2017 sobre este ser infecto, coloque (UY!) aí nos comentários!

Feliz ânus novo!

MRJ